2 de outubro de 2014

CHAPADA DIAMANTINA - Bahia! ~ dia 3 :')

Gruta da Lapa Doce. Foto: João Pedro Oliveira

Essa semana eu estamos falando sobre a Chapada Diamantina (leia o primeiro post aqui ou o segundo post aqui). Esses posts fazem parte do Guia Bahia, meu "diário de viagens" sobre dias bons e aleatórios na Bahia.

Último post sobre o Paraíso ~ todos choram ~. Ainda rolou um "dia 4" em Lençóis, mas a gente só ficou de preguiça na pousada, batendo perna no centro histórico e comprando bugiganga... e para isso não tem muita dica: É só ir ;)

Dia 3 - Gruta da Lapa doce e Pratinha

O terceiro dia foi um dia congelante: A gente saiu cedo para conhecer a gruta da Lapa Doce e eu não posso mensurar, mas devia estar marcando uns 11° C (com certeza o ar-condicionado do ônibus estava mais confortável) e a gente não estava devidamente preparado para passar frio pela manhã.

A essa altura da viagem, as variações de temperatura, passar o dia inteiro com roupa molhada, tomar chuva e depois sol e todos esses perrengues já tinham ferrado com meu sistema respiratório e acabou sendo um dia complicado - e divertido tb! - para mim.

Nina e Eu. Não lembro quem tirou essa foto, mas foi em Iraquara antes de descer para as Grutas

A formação das cavernas dos Municípios de Seabra, Palmeiras e Iraquara, região onde se concentra a grande maioria das grutas estudadas no Estado da Bahia, possuem datação entre 1,7 e 1 bilhão de anos. Existem mais de 130 grutas mapeadas e cadastradas só nos municípios de Seabra, Palmeiras e Iraquara e o interesse crescente de pesquisadores em espeleologia deve-se ao grande número de grutas existentes na Chapada Diamantina ainda sem conhecer, catalogar ou explorar, adequadamente. (Fonte. Modificado)

Localizada no município de Iraquara na Chapada Diamantina, a Gruta da Lapa Doce faz parte de um complexo de cavernas calcáreas, diferenciando da maioria das cavernas da região por ser ampla, arejada e quase toda plana. Considerada a terceira maior do Brasil, a caverna possui 20 km mapeados, onde 850 m são abertos à visitação. (Fonte)

A visita à Gruta da Lapa doce possui dois roteiros, o primeiro era incluso no nosso pacote e acabamos comprando um complemento. Juntamos um grupo de dez pessoas - o nosso incluiu 3 espanhóis (?) engraçadíssimos -  e descemos para as Grutas com um guia local, que tem todo conhecimento relativos as formações rochosas, fauna e flora da região. É um passeio bem educativo e sem dúvidas, emocionante!

Descemos 1.200 metros (não tenho certeza desse dado) em uma trilha íngreme e relativamente fácil por alguns minutos até a entrada da gruta. Quando entramos, apenas o guia possui uma lamparina a gás e uma lanterna e nos leva por uma visita, no começo assustadora, de uns 40 minutos.

Gruta da Lapa Doce. Foto: João Pedro Oliveira

A primeira foto do post mostra uma parte do trajeto dentro da caverna, não vou contar para não estragar a piada do guia. O trajeto é completamente escuro (ausência total de luz), não tem morcegos (eu não vi), mas a poeira acabou comigo. Inclusive passei mal na volta (para subir aqueles 1.200 metros de volta a superfície) por causa da rinite, mas ainda assim, faria o trajeto todo de novo ;)

O trecho extra que compramos é o melhor e super recomendo. Seguimos em um grupo menor (sete pessoas + guia) por um trajeto onde temos mais contato com as formações rochosas, passamos por espaço mais difíceis de caminhar e escalamos alguns outros. O legal é que podemos ver bem de perto tudo que vimos na primeira parte da caverna.

O passeio completo dura em torno de uma hora e meia e depois almoçamos na própria fazenda que organiza o roteiro. E seguimos para a Pratinha.

Gruta Azul. Foto: João Pedro Oliveira
Umas das atrações da Pratinha é esse lugar da foto acima. Babem mesmo porque ao vivo é bem mais bonito! u.u

A Fazenda Pratinha é um fazenda privada, que reúne algumas atrações da Chapada Diamantina como a Gruta Azul e o Poço Encantado. A gente paga uma taxa de visitação e paga novamente para aproveitar das atividades da fazenda como tirolesa, flutuação, fotografias submersas... essas coisas de turista.

Eu juro que fico imaginando as primeiras pessoas que chegaram nessa região e deram de cara com essa água maravilhosamente incolor! Você consegue enxergar o chão de qualquer ponto que você olha, inclusive nos locais mais profundos. É Absolutamente Encantador.

Eu escolhi fazer a flutuação na Gruta Azul (R$20,00). É simples: um guia e um instrutor. Você coloca o equipamento (colete, pé de pato, óculos de mergulho e lanternas) e segue com lanternas por uma caverna inundada, observando os peixes, formações rochosas e o quão cristalina é a água. É tranquilo e quem não sabe nadar pode ir.

O meu problema foi que eu já não estava respirando direito nesse dia por causa do incidente com a crise de rinite na Lapa Doce e fui fazer a flutuação mesmo sem saber nadar. Quando entramos na parte escura da caverna, eu comecei a sentir falta de ar e fiquei muito assustada. O nosso guia logo percebeu e ficou o resto do trajeto comigo (vergonha >.<) e tudo acabou bem.

Apesar dos apesares é um passeio sensacional, mesmo com a água congelante, e vale a pena tanto pelo valor quanto pela aventura.


Aii que Saudades da Chapada! Eu não conheço outro lugar tão charmoso e acolhedor como esse e recomendo a todos! É uma viagem barata, dentro do Brasil e com a oportunidade de aprender sobre nosso país e suas riquezas. Tive a impressão que os estrangeiros conhecem a Chapada melhor que a maioria de nós e isso é uma pena :T

Eu prometi a mim mesma voltar e me permitir experiências novas e aventuras ainda maiores muito em breve. Quem quiser ir, me convida que estou colada e me sentindo nativa! haha ;)

Um comentário:

Visito todos que comentam, caso o link de retorno não esteja funcionando pode anexa-lo no fim do comentário. Sem SPAM, por favor.


Pulando as interjeições...
Solte o verbo, os pronomes, adjetivos e substantivos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...