28 de setembro de 2014

CHAPADA DIAMANTINA - Bahia! ~ dia 1 :)

- Nina, tô escrevendo um post sobre a Chapada. Sugestões?
- Diga que lá é o lugar mais PERFEITO do Planeta.

Vista do Morro do Pai Inácio. Imagem: João Pedro Oliveira

Eu estou enrolando para escrever esse post desde Julho (quando eu viajei). Primeiro porque eu consegui a proeza de afogar minha câmera no segundo dia e fiquei praticamente sem fotos para postar. E depois porque eu não queria compartilhar o "lugar mais perfeito do planeta" com tanta gente.


As fotos que ilustram esse post foram de um monte de gente, incluindo Pedro, Nina e Flavis que  viajaram comigo. Essa viagem vai ser dividida em dois (ou três) posts então, puxe uma cadeira.

Nós viajamos com um grupo de ecoturismo aqui de Aracaju, Os Bagaçados. Foi auge do inverno, que no Nordeste não é grande coisa, mas que nos renderam uma temperatura que variou de 11° a 24°, principalmente porque a altitude chega a 1.200 m acima do mar. Voltei com o sistema respiratório ferrado, então recomendo fortemente roupas de frio, vitamina C e anti-gripal.


Cidades

O Parque Nacional da Chapada Diamantina é composto por 28 município, sendo que os com maior foco em turismo é Lençóis, Seabra e Mucugê. Nós ficamos hospedados na Pousada Casa de Hélia, em Lençóis.

Lençóis - Bahia. Imagem: João Pedro Oliveira

Há registros orais de que Lençóis foi fundada em 1844 por um Senhor de escravos e um escravo em busca de diamantes, não havendo registros formais de sua veracidade hoje. A cidade é extremamente charmosa, com uma arquitetura colonial complemente voltada para o Turismo.

O que mais vemos em Lençóis são Turistas de todo tipo de nacionalidade e idiomas; agências de turismos, com ótimos pacotes; restaurantes de todo tipo de comida, de local a restaurante italiano. Inclusive conhecemos um restaurante que funciona na sala de estar de uma senhora Italiana que mudou para Lençóis alguns anos atrás. De-lí-cia!


Rua das Pedras, Lençóis. Foto: Regina Oliveira

Varanda da Pousada Casa da Hélia. Imagem: João Pedro Oliveira.

A cidade é rodeada por natureza, com pedras portuguesas nas calçadas e é bem servida de pousadas para todos os gostos e estilos, além de um camping super equipado. Aliás, o que mais tem na Chapada diamantina são trilheiros e hippies! 

Nós compramos um pacote de turismo de 4 dias (4 a 8 de Julho) aqui em Aracaju com praticamente tudo incluso e não teríamos gastos além da alimentação. Na cidade, resolvemos não participar de um dia das atividades com o grupo original e compramos um roteiro extra com uma agência local.

Nosso roteiro são o tema desse e dos próximos posts! 


Dia 1 - Poço do Diabo e Morro do Pai Inácio:

A gente chegou na Pousada umas sete ou oito da manhã, após 10 horas de ônibus de Aracaju até Lençóis. O tempo foi para deixar as malas no quarto, trocar de roupa e partir para o Poço do Diabo.

Poço do Diabo. Foto minha, pré afogamento da Câmera e mal tirada ¬¬'

A gente pegou alguns minutos de estrada até a entrada do Poço do Diabo que é um "restaurante" com uma lojinha de souvenir anexa, com aspas em restaurante por que a comida não é lá grande coisa (mentira é ruim mesmo). E já na entrada surgiu um gringo (voltando do Poço), apontando o lugar e dizendo algo como "Awesome"; "Amazing"; E algo que tinha um som parecido com "Maravilhoso". hahahaha

Para chegar ao Poço é mais uma caminhada de alguns minutos com pedras, um pouco íngreme, mas bem fácil. E quando você chega na borda do poço você só consegue pensar: "Que lugar incrível!!". Daí a gente pode ficar por algumas horas, pegar um sol, pular de tirolesa ou fazer rappel descendo pela construção rochosa de 20 metros!

Topo do Morro do Pai Inácio. Nina, Eu, Pedro. Foto da Flaviana Martins.

Depois do Poço do Diabo e de um almoçozinho bem mais ou menos (perrengues de viagens), seguimos para o Morro do Pai Inácio (ver a primeira foto desse post e o vídeo abaixo!). Do alto de seus 1.200 metros, temos a vista panorâmica mais bonita que se tem notícia!

A primeira parte da subida é uma caminhada de quase uma hora (não tenho certeza, o cansaço me fez perder a noção de tempo e espaço nessa altura do dia), que pode ser feita por carro pequeno, mas nosso ônibus acabou ficando na BR, e depois uma subida super íngreme e hardcore de 25 minutos. E quando você chega lá em cima cada passo valeu a pena!


O objetivo era ver o por-do-sol, mas estava bastante nublado e começando a chover. Acabamos descendo rapidinho porque a trilha fica perigosa com chuva forte e o frio lá em cima nos afugentou! O dia terminou com a enooooooorme caminhada de volta até a estrada, um cansaço maior ainda e um por do sol da BR, esperando o ônibus:

Imagem: João Pedro Oliveira.

Os próximos post continuarão falando da Chapada, fica de olho ;)

2 comentários:

  1. Acredita que moro na Bahia e não conheço a Chapada?

    Mas pretendo passar meu Ano Novo lá...tem tempo que planejo, dessa vez vou fazer um belo roteiro e colocar o pé na estrada!
    Amei as fotos e vou esperar os próximos posts. Você já foi então deve ter dicas muito boas pra mim!

    :***

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corra para lá, Bárbara! Será a experiência da sua vida, sou completamente apaixonada pela região :)

      Excluir

Visito todos que comentam, caso o link de retorno não esteja funcionando pode anexa-lo no fim do comentário. Sem SPAM, por favor.


Pulando as interjeições...
Solte o verbo, os pronomes, adjetivos e substantivos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...