3 de maio de 2012

Gentleman-cambrioleur


Tenho tido um companheiro de bolsa, no mínimo, sedutor esses dias. Arsène Lupin, O ladrão de casaca, me conquistou. Sem dúvidas.

O ladrão de Casaca é a principal obra do escritor francês Maurice Leblanc, surgiu em 1907 com o título de Arsène Lupin, gentleman-cambrioleur. Arsène Lupin, ladrão-cavalheiro. O editor da revista francesa Je Sais Tout, Pierre Lafitte, encomendou a Leblanc uma novela policial, cujo herói fosse o equivalente na França ao que representavam juntos Sherlock Holmes e Raffles na Inglaterra.

Desde a primeira linha, tentei não comparar Arsène a Sherlock, entretanto o próprio autor impõe essa ligação e cita por diversas vezes o detetive inglês. Essa persistência em unir os dois personagens rendeu a Leblanc processos por parte Connan Doyle, autor de Sherlock Holmes, e em seus livros, Sherlock passou a ser nominado Herlock Sholmes. Não se trata de plágio, de forma alguma. No livro é como se Arsène e Sherlock/Herlock realmente existisse e convivam cada qual com sua fama. A boa e velha rixa franco-inglesa.

Arséne Lupin é um famoso ladrão, da Belle Époque francesa. Bon-vivant, circula pela alta sociedade sem se deixar identificar ou ser pego. A única vez que foi capturado, passou alguns meses em Santé - prisão de segurança máxima em Paris – e em suas próprias palavras: “No dia em que quiser escapar, não precisarei que ninguém me ajude”. E assim o fez, escapou de forma magistral quando lhe conveio. 

Cada história nos mantém presos a uma atmosfera de suspense, principalmente por não sabermos quem é Arsène até os últimos parágrafos. Ele pode ser o narrador, aparecer de repente quando você menos espera, ou ter estado lá o tempo todo. Embora seu mistério venha de atmosferas criminais pesadas. Ao contrário, tudo na vida de Lupin é alegre, otimista e claro. Sabe-se logo que, se houve um crime, o culpado é Arsène Lupin. 

O ladrão de casaca se estrutura em nove contos, grande parte narrados em primeira pessoa. Apesar de ser um livro de contos, cada história se interliga e mantém uma sequência lógica e temporal. Fazendo com que você queira chegar a próxima história o quanto antes, sem te deixar esquecer os mínimos detalhes da anterior.

Incrívelmente bem escrito, O ladrão de casaca nos encanta e continuará encantando por mais cem anos. É como ver truques de um bom mágico e não resistir a imaginar como tudo ocorreu.
"Eu me pergunto porque todo mundo não escolhe a confortável profissão de ladrão. Com um pouco de habilidade e reflexão, não há outra mais agradável. Uma profissão de confiança, uma profissão de pai de família. Muito comoda mesmo. Chega até a ser enfadonha." Pág 158. O ladrão de Casaca, de Maurice Leblanc. Editora Martin Claret.

3 comentários:

  1. Pareceu interessante o livro!
    Eu sempre tive vontade de ler Sherlock Holmes, mas nunca li! e os filmes, eu tb nao consegui assistir tudo :~

    Enfim, vou dar uma olhada dps ver se eu gosto msm ;]

    Ate domingo ;)

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Nunca tinha ouvido falar nesse livro e fiquei super interessada! Parece que a história é fantástica. Gostei muita da dica, vou tentar achar esse livro para ler o/

    ResponderExcluir
  3. Oii!
    sou apaixonada por ele.
    Minha colega fez um trabalho de moda sobre esse cara. lindo
    beijos
    tou seguindo - blanc.
    modaeeu

    ResponderExcluir

Visito todos que comentam, caso o link de retorno não esteja funcionando pode anexa-lo no fim do comentário. Sem SPAM, por favor.


Pulando as interjeições...
Solte o verbo, os pronomes, adjetivos e substantivos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...