21 de setembro de 2011

Desapego


Dia desses, naqueles dias em que você ‘resolve’ mudar de vida e quando começa a mexer nas coisas desiste do seu próprio plano mirabolante, comecei uma pequena sessão do desapego no meu quarto e resolvi jogar um monte de tralha no lixo.

Tinha coisas que realmente é IMPOSSIVEL de se aproveitar, exemplo? Um monte de canetas que não riscam, maquiagem vencida, biju quebrada, recipientes para guardar coisas que precisam ser guardadas em outras caixas...

E outras que fiquei surpresa em encontrar no meu quarto: Caixas de som para o PC em perfeito estado, um estabilizador que só precisou trocar um fusível, um mouse e um teclado os quais não sei o que fazer. E mais um monte de livros e Cds que nem lembrava.

Roupas e sapatos que não me servem serão doados, os Cds vão para uma amiga da minha mãe que deve gostar, os livros viraram uma listinha de trocas que foi pro Skoob e umas pessoas do Twitter se interessaram.

E por falar em livros, vou colocar a listinha, quem tiver interesse deixa um comentário com contato ou algo assim. A maioria são livros da minha infância, mulherices, estão super-bem conservados e merecem alguém para lê-los.

- Dona casmurra e seu tigrão – Ivan Jaf
- Dez dias de cortiço – Ivan Jaf
- Carolina e a Ostra – Júlio Emílio Braz
- O amor pode esperar - Katherine Applegate
- O casebre do fantasma - Luci Guimarães Watanabe
- No templo do Trovão - Thomas Brezina
- Eu, bruxa – Regina Drummond
- A montanha encantada – Maria José Dupré
- Assassinato na Floresta – Paulo Rangel
- Feijão de Cego, Contos sergipanos - Vladimir Souza Carvalho


Enfim, realoquei algumas coisas, doarei outras e no fim fiquei rindo de algumas bizarrices que foram recolocadas em uma caixinha: ‘um dia pode me servir’.

Eu explico! A 'Coleção' de CDs estragados e cartões inúteis é uma ideia de decoração que eu tive, se um dia ficar pronto mostro por aqui; Chaveiros sempre são uteis; As sapatilhas são da época em que eu dançava e não consegui desapegar; O batom era da minha mãe, ela teve alergia e ainda não sei porque fiquei com ele; E o mais bizarro: meus dentes de leite, que novamente não faço ideia de porque eu não joguei fora; O resto se encaixa em 'um dia pode me servir'.

3 comentários:

  1. Lorenaa, quero o Feijão de Cedo, como faz? *-----* Não dê, venda, sei lá... a ninguém! Eu quero! *----* >.<

    ResponderExcluir
  2. Como é bom desapegar! Eu estou precisando desapegar, renovar meu quarto... Porque quando a gente renova o exterior é um passo para renovar interiormente e/ou que essa renovação já está ocorrendo ^^

    Flor, como faço para conseguir "O amor pode esperar"? Queres trocar algum, vender... Minha estante no skoob: http://www.skoob.com.br/usuario/10054
    Não precisa ser necessariamente os que estão para troca, podemos negociar ;)
    Ah! E se tiver interesse em vender/trocar os papéis de carta, que mencionaste uma vez, podemos conversar.

    Beijinhos :*

    ResponderExcluir
  3. Eu tento, smepre que posso, fazer essa sessão desapego no meu quarto. Mas assim como você, tenho coisas que ainda guargo, omo dee dente do Ciso. Sem serventia, não éh?! Mas eu guardo mesmo assim.

    ResponderExcluir

Visito todos que comentam, caso o link de retorno não esteja funcionando pode anexa-lo no fim do comentário. Sem SPAM, por favor.


Pulando as interjeições...
Solte o verbo, os pronomes, adjetivos e substantivos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...